Conversando com um amigo, ficamos lembrando como Campinas-SP era conhecida por ser bem arborizada. Hoje, a cada chuva ou vento forte, centenas de árvores vão ao chão e não são repostas.

Quando mudei para a casa em que moro hoje, havia na calçada um ficus. Devia ter pelo menos 10m de altura. Sei lá. Talvez mais. Árvore gigante, com raizes a la Jumaji. Numa calçada de 2,5m! Estava destruindo tudo ao seu redor. Muros, calçamento, fiação, tubulação da água, até o piso da minha sala, a 15m de distância da dita cuja. Se estivesse no meio de uma praça ficaria ótima, mas na calçada?! Enfim, gosto de pensar que foi plantada com boa intenção…

Foram alguns anos para conseguir autorização da prefeitura para cortá-la. Tão logo os três caminhões a levaram embora, comecei a pesquisar que árvore ocuparia o espaço. Na época, não achei orientação da Prefeitura sobre quais árvores podem ou convém plantar em calçadas. O Googlerú me indicou alguns guias

Depois de escolher qual árvore plantar, em Campinas, a CATI vende mudas de qualidade e ainda dá para conversar com o agrônomo de plantão. Outra opção é o Mercado de Flores da CEASA.

Faz pouco, conheci a iniciativa do Novas Árvores por Aí e do Flores no Cimento. O pessoal se organiza para arborizar espaços públicos na selva de concreto de São Paulo.

A propósito, hoje tem um Callistemon em frente de casa.

calistemon

Anúncios